CINEMA

WOODY ALLEN: O HOMEM DO JAZZ E DO CINEMA

woody allenApaixonado por Nova York, consagrado cineasta começou escrevendo textos de comédia

Por: Cesar Netto / Fotos: divulgação

 

Escrevo esta coluna sobre grandes diretores de cinema; alguns deles marcaram a minha vida através dos seus filmes . Um deles é Woody Allen: ator , escritor, diretor e músico. E é escutando a música “Lonesome blues” – do álbum Wild Man Blues, cujas músicas Woody toca no clarinete às segundas-feiras, em NY – e acompanhado de um bom vinho tinto, que me inspiro a escrever sobre esse cara extremamente inquieto e excêntrico.

O prodígio Woody, nascido no Bronx em 1935, começou sua vida profissional aos 15 anos, escrevendo piadas e textos de humor para jornais e rádios. Em 1964, já era um respeitável comediante, tanto que um disco chamado Woody Allen, com as gravações de seus shows, foi indicado ao Prêmio Grammy. Sua primeira experiência cinematográfica aconteceu no ano seguinte quando, em uma dessas apresentações, conquistou um produtor de cinema que o chamou para escrever e estrelar “O que é que há, gatinha?”.

Como diretor estreou em 1969, com “Um assaltante bem trapalhão” e, de lá para cá, foram mais de 30 filmes. O primeiro grande filme premiado de Woody Allen foi “Noivo Neurótico, Noiva Nervosa” que recebeu quatro Oscars (três para Allen, de melhor filme, roteiro e direção e um para Diane Keaton, de melhor atriz). Apesar de não ter comparecido em nenhuma das cerimônias em que estava concorrendo, Woody conquistou outro prêmio de melhor roteiro original, por “Hannah e suas Irmãs” e recebeu outras 18 indicações em diversas categorias.

Em 2002, no Oscar seguinte aos atentados de 11 de setembro nos Estados Unidos, Allen finalmente compareceu à cerimônia para fazer uma homenagem à cidade de Nova York, pela qual ele sempre foi declaradamente apaixonado. Nova York é o cenário de praticamente todos os seus filmes e lá é rodado outro clássico do cineasta, “Manhattan”, que recebeu diversos prêmios e conta com as presenças de Meryl Streep e, novamente, Diane Keaton com quem teve um relacionamento.

Em 2000, iniciou um contrato com a DreamWorks. Allen realizou aqueles que são considerados pela crítica como os seus piores filmes: “Trapaceiros”, “O Escorpião de Jade”, “Dirigindo no Escuro” e “Igual a Tudo na Vida”. Depois do fim de seu contrato com a empresa de Steven Spielberg, decidiu voltar seu relacionamento com o drama. “Match Point”, primeiro drama do cineasta em 16 anos, arrebatou muitos elogios da crítica e está na minha prateleira de filmes.

Recebeu quatro indicações ao Globo de Ouro, inclusive para Melhor Filme – Drama e uma indicação ao Oscar de Melhor Roteiro Original. Match Point marca ainda por ser o primeiro filme de Allen passado em Londres e também o primeiro com a atriz Scarlett Johansson.

Um filme que eu adoro e indico é “Vicky Cristina Barcelona”, também com a musa Scarlett Johansson, Penélope cruz e Javier Badem , uma mistura interessante de comédia, drama e romance.

Woody Allen se descreve da seguinte maneira: “As pessoas sempre se enganam em duas coisas sobre mim: pensam que sou um intelectual, porque uso óculos; e que sou um artista, porque meus filmes sempre perdem dinheiro”.

cena do filme - Macht Point

Julio lendo jornal
Post anterior

JÚLIO ROCHA

cerveja artesanal
Próximo post

CERVEJAS PARA OUTONO

Seja o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *